Voto de cabresto: Acre é 2º em crimes eleitorais apos governos de Jorge, Binho e Tiao Viana

O Acre ocupa o segundo lugar entre os estados com o maior índice de investigações por crimes eleitorais no país, entre 2006 e 2016. Segundo uma reportagem publicada nesse sábado (21) no jornal O Estado de São Paulo, durante o período o estado aparece com 10,3 inquéritos para cada grupo de cem mil eleitores. A maioria dos procedimentos, segundo a matéria, se refere a compra de voto.

Procuradores eleitorais, delegados e presidentes dos tribunais regionais eleitorais ouvidos pela reportagem apontam que esse tipo de problema é impulsionado pela dependência em relação a empregos relacionados à máquina pública. Roraima surge como líder no chamado voto de cabresto.

No caso do Acre, o período avaliado coincide com as gestões dos governadores Jorge Viana (dois mandatos), Binho Marques e Tião Viana (dois mandatos). São administrações públicas notadamente alimentadas por nomeações de cargos comissionados e o uso criminoso de servidores públicos para promover candidatos do PT nas últimas duas décadas.

Os números fazem parte de um levantamento com base em relatórios da Polícia Federal obtidos por meio da Lei de Acesso à Informação (LAI). A reportagem comparou dados do número de inquéritos de matéria eleitoral enviados pela Divisão de Assuntos Sociais e Políticos (Dasp), da Polícia Federal, com a quantidade de eleitores de cada um desses Estados.

voto de cabresto é um sistema de controle de poder político através da compra de votos com a utilização da máquina pública ou o abuso de poder. É um mecanismo muito recorrente no interior do Brasil como característica do coronelismo.