Vigilante, diretor sindical e instrutor de artes marciais comete suicídio em Rio Branco

Francivaldo  Silva,  instrutor de artes marciais e diretor sindical do Sindicato dos Vigilantes do Acre, cometeu suicídio por volta do meio dia desta terça-feira. O vigilante usou a própria arma e disparou contra a cabeça, quando estava sozinho na residência de sua esposa. Francivaldo mantinha uma academia no Conjunto Ouricuri. Alunos, amigos e parentes estão em profundo pesar, declarou Nonato Santos, presidente do Sindicato dos Vigilantes.

O corpo permanecia no Instituto Médico Legal até por volta de 14 horas, esperando liberação. O velório será na Capela São João Batista, ao lado da TV gazeta, e o sepultamento pela manhã desta quarta-feira. 

Francivaldo havia sido demitido de uma empresa onde era vigilante na área de transporte de valores. Com auxílio do sindicato, ele foi readmitido, por ordem judicial, há cerca de 40 dias. Sua última entrevista foi ao acjornal, em 27 de junho deste ano.