Doente mental que matou os pais em Sena continua preso e deve ser transferido ao Hosmac sedado

Álisson Vieira de Araújo, que matou os pais a facadas, em Sena Madureira, nesta quinta-feira, e sofre de transtornos mentais, permanece detido numa cela da delegacia da cidade. Após alguns meses se negando a tomar os remédios, a doença se agravou e o comportamento dele ficou mais agressivo. Ele foi medicado ao ser preso, à força, com o auxílio de policiais, e dormiu por algumas horas, enquanto os pais eram velados, numa residência do Bairro Bosque.

O acjornal conversou com um  familiar, que admitiu haver um esforço para internar o rapaz. Porém, há dificuldade de garantir vaga no Hospital de Saúde Mental (Hosmac). Uma advogada da família tenta junto ao Judiciário uma ordem para a internação. “Téo”, como é conhecido, não será mais tutelado pela família.

Estuda-se a possibilidade de “Téo” ser sedado e transferido desacordado para a capital. 

Há uma sensação de medo entre os parentes depois que tudo aconteceu. Porém, alguns familiares compreendem que o crime foi motivado pelo transtorno que acomete o rapaz desde o  seu nascimento. A simples idéia de tomar a medicação deixa Téo agitado. Antes de cometer o crime, não deu sinais de que poderia ser tão violento. Mas ele já agrediu uma tia. 

A Direção do Hosmac disse que Alisson já é paciente de ambulatório do hospital. E recomenda que a família leve-o, inicialmente, para uma avaliação no hospital de Sena Madureira, pedindo que ele seja encaminhado para a capital. No Hosmac, a internação ou não vai depender de uma nova avaliação, por um psiquiatra.