PF e seguranças privados darão proteção a Bolsonaro, que faz comício na Gameleira, terreiro do PT

Policiais federais de outros estados foram deslocados para fazer a segurança do deputado Jair Bolsonaro no Acre. O presidenciável desembarca em Rio Branco por volta de meio dia deste sábado, vindo de Rondônia, onde cumpriu agenda de campanha. O coronel Ulisses Araujo, candidato ao Governo do Estado, garantiu o envolvimento direto de um grande numero de seguranças privados nas ruas, durante as agendas de Bolsonaro em território acreano. Policiais rodoviários federais e patrulheiros de transito estão confirmados no forte esquema para dar proteção a comitiva e aos populares (1).

Um contingente de policiais militares também esta destacado. Porem, o governador Tião Viana negou reforço no numero de militares, especialmente no trecho em que Bolsonaro fara em carreata, desde o aeroporto ate o Centro da capital. O pedido de reforço foi pedido pelo presidente nacional do PSL, Gustavo Bibianno, que acompanha pessoalmente a coordenação da campanha de Jair Bolsonaro.

Ainda não se sabe quais argumentos foram usados pelo governador do Acre para negar o reforço na segurança. Apos a noticia se espalhar, com destaque nacional, assessores do PSL no Acre reuniram com os policiais federais, que tomaram conhecimento da agenda. Nas redes sociais, alguns militares estaduais se dispuseram a ajudar na segurança, voluntariamente. Bolsonaro vai percorrer um longo trecho a pé. Ele sairá do Terminal Urbano, passando pelo Escritório de Governo, na Avenida Brasil, ate chegar a Praça da Revolução.

“Lamentável que um governador desconheça a própria constituição. Ele não prestaria favor nenhum a ninguém, mas deveria cumprir a sua obrigação, pelo bem das pessoas que estarão manifestando sua vontade como cidadãos livres”, criticou Franck Lima, coordenador da campanha de rua do coronel Ulisses e responsável pela agenda de Bolsonaro no Acre. Franck informa que o comício, anteriormente agendado para a esplanada do Palácio Rio Branco, foi transferido para o Calcadão da Gameleira.

“Nos vamos cantar no terreiro do PT”, disse ele, referindo-se ao ambiente onde os governos de esquerda no Acre habitualmente fazem suas manifestações mais festivas. “Não podemos negar que ha uma preocupação com a segurança de todos. O Acre vive momentos de extrema violência. O ambiente em campanhas, especialmente, nunca são de paz. Mas tudo ficara bem, se Deus quiser”, disse Franck Lima.

Bolsonaro e Ulisses gravaram uma mensagem aos eleitores sobre o ato politico deste sabado. Veja abaixo: