Navio hospital da marinha aguardada cheia do Rio Juruá para seguir até a última fronteira do Acre com o Peru

Já faz mais de dez dias que o navio hospital Dr. Montenegro está ancorado no porto da cidade de Cruzeiro do Sul, aguardando o nível das águas do Rio Juruá aumentar para seguir viajem, levando atendimento de saúde até as cidade de Porto Valter e Marechal Thaumaturgo, na última fronteira do Acre com o Peru, no sudoeste da Amazônia brasileira.

O navio saiu de Manaus (AM) no dia 2 do mês passado e na madrugada do dia 31 atracou no Porto de Cruzeiro do Sul com 86 profissionais de saúde da Marinha brasileira a bordo para atendimento às comunidades ribeirinhas isoladas do vale do jurua (AC).

O plano de viajem do comandante de corveta, capitão Jairo Araújo, era aproveitar a cheia do rio e seguir direto para as cidades de Marechal Thaumaturgo e Porto Walter para de lá iniciar o atendimento descendo o rio.

“Ficaria mais seguro para o nosso procedimento de navegação se aproveitássemos a cheia para chegarmos aos destino final e voltar fazendo os atendimentos de saúde, sem a preocupação com a velocidade da vazante porque pra cá o rio tem mais profundidade e oferece melhores condições de navegação para um navio desse porte”, disse.

Todos os dias os médicos e especialistas estão indo atender em uma comunidade diferente e retornando no final do dia com as demandas de exames a serem realizados à noite nos laboratórios do navio.

No dia seguinte o trabalho recomeça, com as equipes retornando ao local de atendimento do dia anterior levando o resultado dos exames e a prescrição médica para cada caso.

Durante esse tempo que o navio hospital está ancorado no porto da cidade de Cruzeiro do Sul, sua equipe já atendeu mais de 5 mil pacientes.

O serviço mais procurado pela comunidade local são os exames de mamografia e radiografia, que não existem na rede municipal de saúde local.