Não vai faltar alimentos, mas comércios no Acre podem demitir. Máscaras e álcool em gel chegam em 15 dias e “até cachaça ajuda”

Um dos maiores restaurantes do Acre, com sede em Rio Branco, registrou 30 clientes nesta terça-feira. Num dia como este, é comum o comparecimento de 250 pessoas para se alimentar no mesmo ambiente. O dono do restaurante ligou preocupado para o presidente da Associação Comercial, Celestino bento, para quem confidenciou a possibilidade de, nos próximos dias, se continuar o “movimento fraco”, ter que dispensar funcionários. O alerta foi ligado para outros setores de serviços, levando a Acisa a fazer um apelo ao Governo do Acre, através desta reportagem:

“O governo agiu correto ao baixar normas de contingenciamento para evitar a proliferação do vírus. Mas o próprio governo precisa ter a consciência de que essas medidas são letais para o comércio local. É preciso tranquilizar o empresariado. Os impostos vencem e nós não podemos ficar inadimplentes, pondo em xeque os nossos negócios. O Estado deve se posicionar”, disse Celestino. Ele concorda que a demissão de funcionários deve ser uma consequência natural diante da quarentena. Bares, restaurantes e boates são tipos de estabelecimentos afetados diretamente.

Corrida aos mercados

A Acisa entende que não haverá desabastecimento no Acre por conta da corrida dos consumidores aos mercados. Atacadistas e varejistas foram tomados de surpresa com o movimento brusco em seus corredores, nesta terça-, quando o governo anunciou os três primeiros casos de Covid-19. Porém, os estoques estão prontos para atender a demanda por até 15 dias, sendo que após esse prazo todos os produtos serão repostos automaticamente.

A grande preocupação é com a falta de álcool em gel e máscaras. O presidente da Acisa arrisca uma orientação de última hora: álcool de churrasqueira serve. Até cachaça serve (para esterilizar). É preciso lidar com o que se tem. Só não pode deixar de fazer a assepsia (contra o vírus)”, disse. Quanto à máscara, nada pode ser feito.

“O álcool e a máscara chegarão no mercado em 15 dias. É esperar”, afirmou

O empresário garante que os preços não serão reajustados.

“A orientação é ajudar a população. Não há motivo para reajuste de preços. É um momento de auto ajuda”, disse.

loading...