Milionário do Acre é alvo de ação por abandono afetivo: “nem fralda, nem remédio”

O empresário Pedro Neves, proprietário da TV5, afiliada da Rede Bandeirantes, enfrenta ação judicial por ter declarado que o filho, de 3 anos, poderia ser expulso da escola caso fosse matriculado. A ex-companheira, com quem Neves viveu por cinco anos, ganhou, na última semana, o direito a pensão no valor de cinco salários mínimos, em nome da criança. O empresário é um dos maiores revendedores de fraldas e remédios da região e, segundo a denúncia, deixou claro que não arcaria com os custos (material escolar) do garoto.

A mulher prepara duas outras representações judiciais contra o empresário: uma pede o reconhecimento da união estável. A outra interpela o empresário por abandono afetivo (do filho). A reportagem apurou que o processo 0701561-50-2019.8.01/0001 versa sobre a conturbada separação do casal, ocorrida quando a mãe ainda estava na maternidade, prestes a receber alta, ao ser avisada de que a criança só seria registrada por força de exame de DNA. 

O resultado positivo do DNA obrigou o empresário a reconhecer a paternidade. A mãe, segundo a ação, relata que o pai se negou a oferecer remédios e até fraldas. A ação está sob segredo de justiça. A jornalista Irlany Barbosa do Vale, a ex-companheira, era contratada da emissora na função de repórter de rede, escolhida pela BAND nacional para fazer o noticiário local que seria transmitido para todo o país.  O seu salário à época, em torno de R$ 10 mil, caiu para R$ 2,5 mil, após a retirada de alguns benefícios, resultado da difícil convivência do casal no mesmo ambiente. O ex-presidente da OAB – Secção Acre, Marcos Venícios Jardim, faz a defesa da mulher, que ainda está nos quados da TV5, recebendo pouco mais de dois salários mínimos como remuneração mensal, e não pode ser demitida por ser diretora do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Acre (Sinjac).

Procurada, Irlany Barbosa disse que foi uma decisão difícil (entrar com ação judicial), mas o fez em nome da educação e da saúde do filho. A repórter revelou que o filho passou dez dias internado e o pai proibiu que houvesse continuidade no tratamento de uma alergia rara, que exige a aquisição de uma vacina especial.  Disse ter ate hoje o exame enviado ao governador, à época, quando deu a alteração no fígado do bebê e ficou desesperada e ligou pra ele chorando pra que a ajudasse e avaliasse o filho.  Tião ligou para o empresário na mesma hora, pra dizer que não era nada grave. Ela imaginou que ele disse, na inocência de não saber que o amigo empresário não dava assistência e nem fazia parte da vida do filho, que aquela criança estava bem, que acalmasse sua mulher. Tanto que as 5:30 da manhã seguinte, Pedro foi ao hospital, pra dar satisfações ao seu governador, quando o mesmo perguntasse como estava o bebê. Essa foi a última vez que ele viu o filho, segundo relata.

Depois disso, diz, quando tentou procurará -lo, em meio a outra dificuldade, alguns meses depois, foi até sua casa, num
Condomínio que ainda possui os controles, já que ela morava lá também, e ele em tom ameaçador, disse que se ela tivesse amor pelos filhos, nunca mais voltasse lá.

A jornalista diz que são praticamente vizinhos, mas o pai nunca visitou o filho e os dois não têm contato nenhum.

Irlany se disse decepcionada pelo fato de o ex-companheiro ter condição financeira extremamente confortável e mesmo assim desamparar o filho. Neves é fazendeiro, dono de imóveis e do Grupo Ecoacre, que reúne estação de rádio FM, a TV e uma das principais distribuidoras de medicamentos da região, responsável por abastecer hospitais e outras unidades de saúde no Acre.

O empresário não foi localizado. Nas empresas dele, as atendentes informam que não têm autorização para informar o telefone celular.