Marcus Alexandre descumpre acordo com o povo ao disputar eleição para governador

Às vésperas das das eleições de 2016, o engenheiro Marcus Alexandre, então candidato do PT a prefeito de Rio Branco, assinou um termo de compromisso formalizado pela OAB, em que promete cumprir integralmente o mandato caso fosse eleito. E, como, de fato, foi o mais votado, assumiu o cargo, e dele não poderia abdicar para ocupar cargo de confiança no Executivo. Essa passagem no termo de compromisso sugere que cargo eletivo também é cargo de confiança, outorgado pelo povo, e, portanto, a desincompatibilização do prefeito, prevista para a primeira semana de abril, se traduz num gesto de traição aos munícipes, além da violação ao compromisso firmado junto à Ordem dos Advogados do Brasil.

O vereador Roberto Duarte entende que o prefeito deve explicações pública. Na Câmara, após provocar Marcus Alexandre a se manifestar sobre a “quebra da palavra”, a assessoria política do prefeito tentou passar a idéia de que o documento não cita a disputa eleitoral como motivação para deixar o cargo de prefeito. Porém, o argumento foi vencido, uma vez que “todo político eleito pelo povo ao povo deve explicações, sendo ele ocupante de cargo de confiança (da confiança do povo)”, explica o parlamentar.

O presidente da OAB Seccional Acre, ao falar sobre o assunto, foi ligeiramente discreto. “Cabe à população fazer a sua análise. O compromisso firmado com a OAB me parece bem expansivo. Creio que cada cidadão deverá fazer o seu juízo de valor. A ordem se preocupou em obter este e outros compromissos, não do do candidato em questão, mas de todos os postulantes, na capital e no interior”, declarou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui