Juíza nega viagem a empresário do Acre condenado por pedofilia

O empresário Mauricio Vilela Viana Lisboa, de 68 anos, condenado por estupro, teve um pedido para viajar negado pela Juíza da Vara de Execuções Penais, Luana Campos. Ele cumpre prisão domiciliar. 
A defesa de Mauricio Lisboa solicitou autorização para o empresário permanecer de 25 de Abril a 21 de Maio em São Paulo. Mas ao analisar a solicitação, a magistrada relatou que o advogado não informou o endereço onde o apenado poderá ser encontrado na capital paulista.
Além disso, a Juíza descreveu que o período para saída temporária é de apenas 7 dias. O advogado deve refazer o pedido. Mauricio foi condenado a 14 anos e 15 dias de prisão em regime fechado, após ser denunciado por aliciar menores de 11 e 16 anos. O empresário teria pago também 50 reais para manter relação sexual com pelo menos duas menores em 2002.
Em junho de 2016, Maurício Lisboa que estava internado em uma clinica da cidade, teve um pedido de prisão domiciliar aceito pela Justiça. De acordo com a defesa, o empresário passava por sérios problemas de saúde.