Agentes penitenciários já identificados facilitaram entrada de pistolas no presídio: “serão expulsos”

Em nota, o presidente do Instituto de Administração penitenciária, Lucas Gomes, admite que agentes penitenciários facilitaram a entrada de duas pistolas no Presídio Francisco D´Oliveira Conde. Os funcionários já foram identificados e serão expulsos. leia:

NOTA

Uma operação no Complexo Penitenciário Francisco de Oliveira Conde que durou uma semana inteira apreendeu duas pistolas no pavilhão “L” da unidade de Regime Fechado.

As pistolas, até onde apuramos, teriam entrado no complexo com a facilitação de servidores, que são alvos de investigação e que deverão ser expulsos do quadro. As informações justificam a recente portaria que prevê a submissão de servidores em aparelhos de scanner corporal em casos de suspeita.

A apuração de nossa inteligência, que trabalhou colhendo informações com os servidores dos plantões, deu conta de rastrear a entrada e o destino dessas armas. Possibilitando que fossem alvos da apreensão nos dois últimos dias.

Desde o início do ano, três servidores foram demitidos envolvidos com corrupção. Temos outros alvos, mas sabemos que os que têm envolvimento com o crime são minoria. Porém, acabam comprometendo sobremaneira a imagem e a segurança dos demais, que prestam o seu serviço de forma honrada e honesta. Por isso, tem sido a nossa prioridade o enfrentamento à corrupção. Como deve ser prioridade em todas as instituições.

Em face dos eventos dos últimos dias, a visita nos pavilhões que compõem a URF1, comumente chamada de “Chapão”, está suspensa neste domingo, dia 10.

Na próxima semana o ambiente retorna à situação de segurança e normalidade. Um trabalho que vem sendo costurado pela administração e pelos Policiais Penais que atuam nas unidades, imprimindo segurança e disciplina no ambiente prisonal.

Atenciosamente,

Lucas Gomes
Presidente IAPEN

Rio Branco – Acre, 09 de novembro de 2019.