Família aguarda Ministério da Saúde para desligar aparelhos que mantêm motoboy vivo após tentativa de suicídio; Logística de transplante falha no Acre

Médicos confirmam a morte cerebral de João Vítor Gomes da silva, de 22 anos, que tentou suicídio por enforcamento, no último sábado. Ele permanece na UTI do Pronto Socorro do Hospital de Urgência e Emergência de Rio Branco, ligado aos aparelhos, aguardando a definição de uma logística para a captação e transplante de seus órgãos. A Fundação Hospital do Acre suspendeu estes serviços temporariamente.
João Vítor tentou se enforcar e ainda conseguiu enviar uma foto para a sua esposa, com quem tem um filho de seis meses.

Ele é considerado um homem vivo. Seu coração ainda pulsa, o sangue circula, ele se alimenta pelas veias e a barba continua crescendo. A família agradece as manifestações de pesar e de solidariedade, mas informa que ainda não existe a confirmação de um horário para o desligamento dos aparelhos e para o início das preparações da cerimônia fúnebre”, postou em sua rede social o agente penitenciário Janes Peteca, irmão de João Vitor.

A direção do hospital comunicou à família que a Central Nacional de Transplantes do Ministério da Saúde planeja a estratégia para fazer a captação e a transferência dos órgãos para outros Estados. “Nossa família, mãe e irmãos e sua esposa, decidimos pela doação porque entendemos que a vida dele poderá ter prosseguimento salvando a vida de outras pessoas, o que pode ser considerada como uma herança para o seu filho de apenas três meses”, disse Janes.

João Vítor entregava pizzas e não apresentou sinais de que tiraria a própria vida. Quando sua esposa chegou em casa, 25 minutos depois ele pular com um lençol em volta do pescoço, João já estava desmaiado. Ele foi levado ao Pronto Socorro onde ficou em coma até domingo.