“Estou dando as condições que os gestores pediram, mas vou cobrar resultados”, diz Cameli

Em entrevista concedida ao Jornalista Washington Aquino durante o programa Café com Notícias na manhã desta quinta-feira (08), o governador do estado Gladson Cameli falou das últimas ações de seu governo. Gladson fez questão de reafirmar o compromisso de tirar a saúde pública do caos que recebeu, tendo como eixo inicial a entrega da maior unidade hospitalar do estado, o novo Pronto-Socorro de Rio Branco. O governador disse que esta foi uma de suas principais promessas de campanha e que seria a primeira de muitas obras.

“Encontramos a saúde em estado de calamidade social, com sucateamento de unidades, veículos abandonados, equipamentos guardados sem nunca terem sequer sido ligados, além do pânico de quase dois mil servidores do PRÓ-SAÚDE, que trabalhavam sob ameaça de demissão”, disse o governador. Ainda segundo o chefe do executivo, um novo concurso na área de saúde posterior a esse de domingo será lançado no diário oficial nos próximos dias, o que vai garantir o funcionamento com escalas normais e dando dignidade aos trabalhadores e principalmente aos milhares de pacientes que necessitam do sistema.

“Já vamos licitar a segunda parte do Pronto-Socorro, assim como autorizar as reformas dos hospitais de Sena Madureira, Feijó e garantir a conclusão do Hospital Wildy Viana, de Brasiléia. Estamos nos programando para pagar em dia para quem vai construir”, garantiu Gladson. Ainda durante a entrevista, Gladson anunciou a inauguração da UPA de Cruzeiro do Sul, marcada para o dia 28 de setembro, dia em que a cidade comemora seus 114 anos de fundação.

Recuperação de Ramais

Ao ser abordado sobre alguns gargalos na liberação do convênio com as prefeituras, que garantirão a recuperação de ramais no estado, o governador confirmou ter sim alguns entraves burocráticos, coisas da legislação. Disse que sua equipe junto com o Deracre trabalha para dar agilidade dos processos afim de garantir a materialização das ações planejadas.

Relação com Poder Legislativo

“Não tenho problemas algum com nossa Assembleia Legislativa. Pelo contrário, estamos em uma parceria muito boa. Quanto à suplementação de R$ 700 mil solicitada pela casa, eu estou me reunindo com os dirigentes da mesa e estamos dialogando sobre uma saída. Agora minha prioridade é a saúde e outras áreas mais emergenciais”, afirmou o governador.

Demissão de Secretários

O governador se disse surpreso, pois diariamente surgem informações em alguns veículos de imprensa, ventilando possíveis demissões de vários secretários de seu governo. Segundo o parlamentar, ele tem cobrado sim resultados de seus subordinados, pois tem dado a eles as condições que os mesmos necessitam. Quanto a troca de titulares das pastas, ele disse que quando achar que deve fazer, fará, pois age de forma muita dinâmica e rápida, daí a necessidade de os mesmos acompanharem esse ritmo. “Falaram até que eu isolei o Thiago Caetano, o que não procede, afinal se todos secretários fossem falar na inauguração do PS, a atividade não acabaria”, disse.

Polêmica na Fundação Hospitalar

Para Gladson, a gestão deixa a desejar na melhoria dos serviços e ele cobrou isso da secretária Mônica Feres. Encontramos sete salas de cirurgias praticamente paradas, com profissionais lotados lá, portanto o que justifica essa paralisação nos procedimentos cirúrgicos?”, Indagou o governador. “Acho que faltou um pouco de gestão e eu admito, mas vou priorizar isso. Não dá é para ver as pessoas clamando por saúde, sendo que ao mesmo tempo podemos oferecer o mínimo para amenizar o sofrimento delas”, afirmou Cameli. O governador ainda disse que falta vergonha na cara de alguns gestores. “Eu jamais me recusei a ouvir os problemas e buscar oferecer a solução”, garantiu.

Gladson finalizou anunciando mais de R$ 300 milhões em obras e investimentos, que serão feitos nas mais diversas áreas de sua gestão, com licitações ainda neste ano.