Entre uma agenda e outra, Valter Prado e Gladson afinam propostas para a Segurança

O senador Gladson Cameli e o delegado Walter Prado esclarecem á população as propostas prioritárias de segurança pública contidas no plano de Governo da Coligação Mudança e Competência. nas caminhadas, arrastões e visitas aos bairros, o candidato ao governo e o candidato a deputado estadual afinam o discurso que também acentua a qualidade do debate público. Para a imprensa, é uma importante fonte de temas e possíveis pautas durante a cobertura eleitoral, reunindo os principais dados sobre segurança pública no Acre.

“Com baixas taxas de esclarecimento, o número de homicídios se mantém em patamar muito elevado, enquanto os roubos têm aumentado de forma alarmante. Mesmo com aumento recente nos investimentos, o modo como se organiza a distribuição de recursos é ineficiente e carece de políticas públicas alinhadas”, comenta o delegado que instituiu a Força Tarefa e pretende, num eventual governo Cameli, contribuir coim estratégias que deram certo no passado e foram abortadas no governo Tião Viana.

O senador mantém a proposta de contratar 2 mil novos policiais em quatro anos e reimplantar o policiamento exclusivo para dar proteção às escolas e às comunidades, em rondas permanentes independente de a região ser violenta ou não.

A agenda traz seis áreas prioritárias para a melhoria da segurança pública. Para cada uma delas, diferentes medidas foram indicadas pelo grupo de organizações e especialistas.

O ranking nacional de homicídios por 100 mil habitantes põe o Acre na lanterna, se comparado aos demais estados. “Nós não transformamos desenvolvimento econômico em redução de mortes violentas. Para enfrentar o problema, é preciso priorizar a investigação destes crimes e fortalecer”, diz o delegado. Ele anunciou que há, hoje, mais de 800 mortes violentas sem autoria conhecida. “Devemos melhorar a capacidade de planejamento e de eficiência das polícias no Acre. Para combater a violência de forma efetiva, é preciso investir em polícias integradas de ciclo completo, que atuem na prevenção e investigação de forma integrada, com controle externo forte e autônomo”, pontuou Cameli.

“Não basta prender mais, é preciso prender de forma correta e racional, encarcerando somente quem comete crimes mais graves e priorizando alternativas penais para crimes mais leves, além de adotar medidas para  garantir o controle do estado sobre as prisões”, disse o candidato a governador.

“As políticas de prevenção são ações que comprovadamente ajudam a combater a dinâmica criminal em torno do tráfico de drogas de forma mais efetiva. Valter Prado defende um sistema padronizado e integrado de gestão de informações, que seja disponibilizado de forma transparente para a sociedade.