Eduardo Velloso disputará vaga de senador com apoio dos descontentes com indicação de Rocha

O médico Eduardo Velloso será candidato a senador. A decisão saiu há pouco, em reunião com a presença do senador Gladson Cameli e cinco partidos que apóiam a coligação. Velloso, que estava cotado para vice, terá apoio incondicional dos seguintes partidos:  PTC ( do advogado Júnior Santiago), PPS (da professora Rosana Nascimento), PMN ( da advogada Valdete Souza), PSC (do ex-deputado Jammyl Asfury) e PR (da missionária Antônia Lúcia). Outros dois partidos da Frente Popular devem se juntar a esse grupo. O PTB da publicitária Charlene Lima e o Solidariedade desistiram de última hora. A decisão de lançar Velloso pode forçar Flaviano Melo a repensar a suposta debandada da coligação.

A advogada Valdete Souza disse que o apoio a Gladson está mantido, mas esse grupo não está de acordo com a indicação de Rocha. “Respeitamos a escolha do nosso governador, mas o indicado, infelizmente, se impôs. Não fez por onde merecer”, declarou. O grupo está alheio à possível debandada do PMDB, e foca todas as suas atenções na campanha de Velloso. “É o nosso candidato, sim. É aquele que, desde o início, se esforçou para unir todos em torno do melhor para o estado. Estamos exercendo um direito sagrado de escolha dentro do mesmo grupo. Isso é democrático”, explicou a professora Rosana.

Eduardo Velloso compareceu ao ato de indicação de Rocha. os dois se cumprimentaram, afinal são do mesmo partido. Mas os apoiadores (partidos citados acima) decidiram não participar do anúncio do vice, em ato bastante concorrido no Hotel Pinheiro, na tarde desta quinta-feira. A missionária Antônia Lúcia foi escolhida para explicar as razões para o não comparecimento do PPS, PMN, PTC e PSC.