Corrupção na Emurb: saiba quem são os delatores e veja a lista dos 23 denunciados. Juiz bloqueia todos os bens de Jackson Marinheiro e família

Dos 12 agentes públicos envolvidos no desvio de dinheiro na Emurb, dois fizeram a delação premiada. São eles: Eliandra Conde dos Santos e Carlos Henrique Souza da Silva. Por contribuírem com as investigações, a dupla não aparece no rol de denunciados por formação de quadrilha, peculado, estelionato e falsidade ideológica – por enquanto. No total, mais de 730 crimes foram praticados em sequência, inclusive pelos 13 empresários que, agora, estão oficialmente denunciados também. Como resultado da delação, o juiz da 4ª Vara Criminal, Flávio Mariano,decretou o bloqueio de todos os bens em nome do ex-diretor da Emurb, Jackson Marinheiro, apontado como principal beneficiário da fraude. A fazenda do ex-diretor e demais bens móveis e imóveis em nome de seus familiares não podem ser movimentados.  O juiz também determinou a indisponibilidade de bens que forem encontrados em nome dos demais denunciados, até o valor de R$ 100 mil. Nesta quarta-feira, foi confirmada outra decisão curiosa: o segredo de justiça que envolvia a Operação Midas não existe mais. Detalhes do esquema e a movimentação dos processos podem ser consultados no site do Tribunal de Justiça. A intenção é reunir patrimônio igual ou superior a R$ 7 milhões,  valor parcial desviado dos cofres públicos.