Corpo de Bombeiros Militar lembra incêndio da ALEAC, 27 anos depois

Por Cláudio Falcão, Assessoria de Comunicação do CBMAC

Neste 30 de abril completa exatos 27 anos que a ALEAC ardia em chamas. O corpo de bombeiros militar mobilizou todo o seu efetivo, à época, inclusive militares que estavam na folga, para combaterem aquele grande sinistro.

Por ser ainda horário de expediente na ALEAC, havia muitos funcionários naquela ocasião. Os que estavam no pavimento superior, nem todos conseguiram descer ao rol de entrada daquela edificação e, devido à fumaça e as chamas, buscaram abrigo no topo da Assembléia.

Diante de tal situação e sem equipamentos adequados para o salvamento, pelo menos dois militares, com o suporte dos demais, não tiveram outra opção a não ser escalar as paredes da Assembléia para resgatarem três pessoas que estavam presas no topo do prédio.

Os bombeiros que escalaram foi o Cabo BM Pedro Almeida, hoje na reserva, e o Soldado Carlos Batista, atualmente é o Comandante-geral do CBMAC.

Passados 27 anos, o Corpo de Bombeiros vive outros tempos. Cresceu em efetivo, equipamentos, treinamentos, conhecimentos, possuindo hoje suporte para atuar frente às diversas missões diárias.

Entretanto não se pode esquecer aqueles que superaram todas as dificuldades para que a corporação chegasse no atual momento.

Esta ocorrência da ALEAC (1992) é a prova das dificuldades que os bombeiros enfrentavam, bem como a prova da imensa coragem e desprendimento em ajudar o próximo que habitava e habita o espírito de cada militar bombeiro.

Tanto quanto cresceu o CBMAC, cresceram também suas atribuições e colaboração com a sociedade acreana.

“Sinto-me recompensado, realizado operacionalmente, frente às diversas operações que realizei no CBMAC, porém esta do incêndio da ALEAC em 1992 marcou de forma muito contundente minha vida de Bombeiro. Ver aquelas pessoas que estavam desesperadas no topo do prédio em segurança e com suas vidas preservadas foi uma das maiores satisfação que tive em toda a minha vida.
São nesses momentos que temos a certeza da profissão que escolhemos!!” – Afirma o Coronel Carlos Batista – Comandante-geral do CBMAC

Além de estudo de caso que se faz sempre para aprimorar técnicas e necessidades, o Corpo de Bombeiros também convidará para ir ao quartel do Comando Geral uma das pessoas que foram salvas naquela ocasião e promover o reencontro da vítima com quem a salvou.