Cinco prefeitos com chapa pronta chegam ao PP, que aguarda o TSE para também puxar Bocalom

O Progressista fará um ato no qual se filiarão personalidades, inclusive prefeitos. O evento, que vai acontecer na sede do partido, na Rua Major Ladislau Ferreira, no bairro Mascarenhas de Moraes, vai contar com presença do governador Gladson Cameli, da Senadora Mailza Gomes e dos deputados Nicolau Júnior, Gerlen Diniz e José Bestene.

Espera-se que os prefeitos Romualdo Araújo (Bujari), Tião Flores (Epitaciolândia), Ederaldo Caetano (Acrelândia) e Francisco Assis Moura (Santa Rosa do Purus) ingressarão no partido. O assessor e braço direito do presidente da Emater, Tião Bocalom, Valtin José da Silva, comissionado do governo, também assinará ficha de filiação. “Eu me filiarei, mas só posso falar por mim”, disse ele, desconversando sobre o ingresso do chefe.

O ex-prefeito de Acrelândia teve 22 mil votos na disputa pela Câmara federal e reivindica a vaga do pastor Manoel Marcos, que teve o diploma cassado pela Justiça Eleitoral do Acre por compra de votos e uso indevido do Fundo Partidário. Até novembro deve sair a decisão de mérito, pelo Tribunal Superior Eleitoral.  Até lá, Bocalom não pode mudar de legenda.

De acordo com o secretário-geral da legenda, Lívio Veras, Bocalom tem memória eleitoral ainda viva, foi muito bem votado fazendo uma campanha sem dinheiro e reúne as qualidades que todo partido gostaria em seus quadros.

As filiações são uma estratégia de crescimento e fortalecimento para as eleições do próximo ano. “Somos um dos partidos mais tradicionais do país e, aqui no Acre, temos um bom histórico de representatividade tanto no Legislativo como no Executivo”, disse o dirigente, para quem o Progressista tem a missão de desenvolver o estado e melhorar a vida dos acreanos.