César Messias mantém cargo de Jackson Marinheiro, que está preso e deve receber salário integral de R$ 10 mil

A Chefia de Gabinete do deputado federal César Messias informou no início da noite desta terça-feira que o ex-diretor da Emurb, Jackson Marinheiro, está mantido no cargo de secretário parlamentar. Marinheiro está preso preventivamente acusado de peculato e outros crimes, em consequência da segunda fase da Operação Midas, desencadeada pelo Gaeco do Ministério Público e polícias civil e militar do Acre. A chefe de gabinete do deputado em Brasília, Ana Paula, disse que Messias não fez nenhum comunicado sobre o assunto. “No momento ele está em plenário sem celular”, afirmou a assessora. Marinheiro, em tese, assessora César Messias no gabinete com endereço em Rio Branco. Secretários parlamentares não assinam ponto. Portanto, não são obrigados a comprovar sua frequência no local de trabalho. Marinheiro poderá receber seu salário integral, de R$ 10,5 mil, pagos pelo contribuinte, mesmo detido numa cela da Papudinha.