Agente da PF suspeito de premeditar morte da filha é levado por colegas à delegacia, presta depoimento e fica preso

O Policial Federal Dheymersonn Cavalcante Gracino dos Santos, suspeito de envolvimento na morte da filha, um bebê de 3 meses, foi levado à delegacia de polícia civil por colegas (dois delegados e um escrivão da PF). Oficialmente, os agentes federais que trabalham com Gracino concordaram que o policial poderia sofrer retaliações externas diante da repercussão que o caso tomou. O delegado Martins Hessel, que preside o inquérito, ouviu a versão do acusado e decidiu manter Dheymersonn preso.

Duas fontes consultadas pela reportagem disseram que a prisão é “medida preventiva, para salvaguardar a integridade física do policial”. Os delegados e o escrivão acompanharam o depoimento do agente. A Superintendência da PF, ao receber informações da investigação em curso, abriu sindicância para apurar, internamente, a conduta do policial. Ele pode ser afastado de suas funções.

Dheymersonn Cavalcante está incomunicável, sob forte custódia do estado, numa cela da delegacia situada no Bairro Cadeia Velha. Um agente federal, amigo do acusado, sugeriu que a imprensa tivesse certos cuidados ao noticiar a detenção, uma vez que não houve decisão judicial para isso, e “é melhor aguardar a investigação antes de emitir opinião ou juízo de valor”.

O depoimento do agente federal e de sua mãe são mantidos em absoluto sigilo. O delegado ouviu a mãe da criança, uma enfermeira, com quem o policial teve uma relação relâmpago, na cidade de Marechal Thaumaturgo, e desse romance nasceu a menina. A mulher manteve a versão de que, por várias vezes, o policial sugeriu que ela abortasse.

A criança faleceu após se alimentar em mamadeiras compradas pelo suposto pai e pela suposta avó. Laudos médicos reforçam a investigação. O bebê teria ingerido uma quantidade maior de leite, tendo passado mal e ido a óbito por bronco aspiração, asfixia em que alimentos, líquidos, saliva ou vômito são aspirados pelas vias aéreas (nariz). A perícia identificou leite no pulmão da criança.