Abaixo da rede esgoto: barraco entre “jornalistas” do governo sobra até para secretária de Comunicação; Ouça

Os assessores da Secretaria de Comunicação do governo (Secom), Hedislandes Gadelha e Sílvio Santos, que são pagos com dinheiro público para trabalhar divulgando as ações do governo, trocaram graves acusações em grupos de whatsapp, nesta quarta-feira.

A principal acusação é deslealdade e extorsão, de parte a parte. Os áudios estão viralizando. E envergonham. Herdislandes não daria expediente, segundo o rival. O rapaz se explicou, afirmando estar de atestado médico. Mas a contenda não cessou. Ele ameaça processar a secretária de Comunicação, Silvânia Pinheiro, se ela não abrir processo administrativo contra Sílvio Santos.

Santos chega a prenunciar a exoneração dos dois, em razão do constrangimento causado ao governo.

“Sílvio, ninguém te suporta”, dispara Gadelha.

“Ninguém me suporta porque não sou falso. Não saio gravando Deus e o mundo por aí. Agora você já é prejudicado com tuas atitudes e ações. Tu vai com quem te paga mais”, rebate Sílvio Santos.

Originalmente filiado ao PSDB e ferrenho opositor os primeiros governos petista, Hedislande Gadelha, que tinha forte inserção nas redes sociais, se transformou no principal defensor do governador Tião Viana e do petismo. Está contratado com uma CEC 7 e divulga as ações de Gladson.

Santos não é diferente. Foi petista e mudou de sigla com a ascensão do novo governo.

Os áudios abaixo contêm palavras de baixo calão.