População do Vale do Juruá sofre com preços abusivos nos alimentos após decreto de quarentena

Como não bastasse o risco de contágio pelo Covid-19, o município de Cruzeiro do Sul e região, no Vale do Juruá, interior do Acre, sofrem também com os preços abusivos praticados pelo comércio local nos produtos alimentícios.

A cartela com uma dúzia de ovos brancos, que antes custava, em média, R$ 8,00,  hoje é vendida por 20,49 reais. O novo preço do produto, após o decreto de quarentena de 15 dias devido à disseminação do covide-19, assustou um consumidor do bairro do Remanso que postou em sua rede social.

” É inacreditável o que acabei de vê aqui no super mercado”, escreveu o rapaz .

Outros registros de preços abusivos têm sido postados com frequência nas redes sociais por consumidores denunciando os supermercados que estariam explorando a população de Cruzeiro do Sul e de cidades vizinhas que renovam o estoque de alimentos em grandes atacadistas cruzeirenses.

A caixa de óleo de cozinha com 12 unidades pulou de 80 reais para 96.

O fardo de açúcar, que antes custava 75 reais, hoje não sai por menos 102 Reais.

O arroz em fardo está sendo vendido por 102 reais. Antes era comercializado por 87 reais.

Os reajustes abusivos nas vendas no atacado são repassados para o consumidor final na compra em varejo.

Basta dizer que o quilo de frango que custava 8 reais, agora é vendido por até 12 reais.

Em nota publicada na internet, o supermercado onde o consumidor fotografou o preço do ovo de galinha, disse que o reajuste se deu devido ao aumento da procura e a redução da oferta.

A população local se queixa da ausência dos órgãos de fiscalizações para combater os abusos cometidos pelos comerciantes.