Jovem rejeita R$ 5 mil, bom hotel e tour em Recife para levar droga do Acre e escapa da prisão

Jovens acreanas estão sendo seduzidas com viagens luxuosas e muito dinheiro. A proposta é embarcarem para o Nordeste com droga na bagagem. Ao perceberem que a Polícia Federal não está mais permanente no aeroporto de Rio Branco, os traficantes acreanos passaram a seduzir mulheres jovens a embarcarem para o Nordeste levando droga na mala para serem entregues a terceiros nas cidades de destino.

As vítimas são adolescentes na faixa de 18 a 24 anos, de famílias pobres, moradoras da periferia da capital do Acre que sonham com uma viajem de passeio ao Nordeste brasileiro.

O Acjornal conversou com uma dessas meninas que recebeu a proposta, mas apesar do desejo de conhecer Recife, capital do Estado de Pernambuco, ela não teve coragem de viajar a serviço dos traficantes.

“Eu sempre falei para meus amigos, principalmente da escola, que o meu sonho é passear em Recife. Até que no começo deste ano um colega me disse que tinha um amigo de um amigo dele que estava disposto a bancar os custos da minha viajem se eu levasse uma encomenda na mala para outro amigo desse amigo dele que mora lá”, conta  M.E.P., de 22 anos, moradora do bairro mocinha Magalhães, em Rio Branco (AC)

Ao saber do que se tratava, a moça não teve coragem de aceitar a proposta, mesmo com todas as garantias de que não haveria fiscalização policial no portão de embarque do aeroporto de Rio Branco.

“O amigo desse meu amigo chegou a me ligar três vezes, por chamadas de voz no zap, para dizer que outras meninas já tinham ido e voltado sem risco algum. Ele pagaria minhas passagens, bancada a hospedagem em hotel bom e ainda me dava 5 mil reais para eu passear lá. Mas, apesar da tentação não tive coragem de ir”, afirmou a garota.

Dias depois ela soube, por intermédio de vizinhos, que uma conhecida que morava no mesmo bairro e tinha amizade com o mesmo cara que lhe sugeriu a viajem bancada pelo tal amigo, havia sido presa ao desembarcar no aeroporto de Recife(PE) com 12 quilos de Skank (cocaína refinada) na mala.

O caso, ainda mais recente, foi registrado na última segunda feira, no aeroporto de Jericoacoara, no Ceará.

Natali de Lima, 25 anos, natural de Rio Branco foi flagrada com 7 quilos de Skank em uma mala que teria esquecido no portão de desembarque.

Ao voltar para pegar a bagagem no box da empresa aérea ela foi surpreendida pela polícia cearense e levada para o presídio feminino de Fortaleza (CE) sob acusação de tráfico de drogas.

O Acjornal procurou a Polícia Federal para saber porque não esta tendo fiscalização policial no Aeroporto de Rio Branco. A resposta da assessoria de imprensa da PF é que foram suspensos os plantões 24 horas no local e agora os agentes só vão lá quando são demandados.

Já na assessoria de imprensa da Polícia Militar, ninguém se habilitou a explicar porque a corporação não mantém policiamento contínuo no aeroporto.