Cadê o Procon? baixa qualidade da Internet revolta o Juruá, que denuncia descumprimento de ordem judicial

REDAÇÃO

Os serviços de telefonia e cobertura do sinal de internet são dois dos maiores problemas diários dos moradores de Cruzeiro do Sul, gerando transtorno e muito prejuízo ao comercio local. Nos últimos dias a cidade de quase 90 mil habitantese já celebra 100 anos do Novenário em honra de Nossa Senhora da Glória, padroeira da cidade, depende de razoável qualidade no serviços. Nesse período a cidade movimenta o comércio e recebe turistas de toda região, Foram dois dias de sinal oscilando, segundo o Moto-taxi José Roberto, que lamenta o descaso das operadoras. “Estamos tendo prejuízos nas corridas, pois se não tem sinal, como nossos clientes vão nos ligar?”.

O proprietário de uma distribuidora de Bebidas, Marcos Silva, diz que teve queda nas vendas,. “A maioria dos clientes compram no cartão e sem internet fica impossível realizar as operações, finalizou Os taxistas da cidade também reclamam do prejuízo ocasionado pela falha no sistema, logo no período de grande movimentação de pessoas, frustrando a expectativa de um faturamento melhor nesta época do ano. Desde 2009, uma lei foi aprovada e sancionada para a implantação do PROCON na cidade, onde foi firmada uma parceria entre o Estado e município. No acordo, o Estado ficaria responsável pela parte técnica e o município com o aluguel de um prédio para o funcionamento do órgão.

São 10 (dez) anos de descumprimento de uma lei que sequer saiu do papel, enquanto milhares de consumidores são lesados e desrespeitados. Em 2016 a Justiça recomendou a prefeitura a implantação do órgão de defesa do consumidor, determinação ignorada até hoje. Pela lei, a prefeitura tem que arcar com toda parte logística do PROCON, incluindo pessoal. Já o estado entraria com a parte técnica e acompanhamento.

Mais Notícias
Carregue mais