Avança a idéia do táxi compartilhado em Rio Branco. Saiba mais

REDAÇÃO

Em uma reunião com os vereadores na sessão de quarta-feira (10), representantes do Sindicato dos Taxistas no Acre e Condutores Autônomos reivindicam a implantação na Capital do serviço de táxi compartilhado. De acordo com os sindicalistas, a fiscalização do município é ineficiente e permite que muitos “pirangueiros” estejam presentes no sistema de transporte. Outra dificuldade dos taxistas é que os motoristas de aplicativos conseguem, através de liminares, protelar decisões em definitivo. A soma desses problemas fizeram com que os taxistas tomassem a decisão de sugerindo o serviço.
Na última segunda-feira (8), eles protocolaram na prefeitura de Rio Branco um documento solicitando ao Executivo que encaminhe a Câmara uma alteração na lei para regulamentar esse serviço. Outras cidades já implantaram o serviço, cada uma com suas especificidades.

O que é

Trata-se de veículos cadastrados que farão rotas específicas e poderão ser divididos por dois, três ou quatro passageiros. A ideia é que os táxis compartilhados operem de segunda a sexta, das 6h às 24h, em rotas que têm como ponto de partida estações de ônibus, metrô e trens e que vão até pontos da cidade que concentram movimento, como shoppings e parques. O taxímetro fica desligado e o taxista cobra um valor fixo por trecho, conforme tabela. Assim, quanto mais gente no táxi, mais barato fica. A vantagem é tanto para o passageiro, que economiza na corrida, quanto para o motorista, que não ficaria mais parado ou circulando em busca de passageiros. A adesão dos taxistas seria voluntária e os táxis cadastrados contariam com uma série de identificações visuais dentro e fora do veículo, indicando rotas e tarifas.

 

Mais Notícias
Carregue mais
%d blogueiros gostam disto: