Mulher de deputado acumula cargo de técnica com CEC 7 e salário dispara: R$ 12,6 mil

REDAÇÃO

O Iteracre, Instituto de Terras do Acre, paga 12,6 mil de salários para a esposa do deputado Neném Almeida (Solidariedade), referente a uma CEC 7. Não poderia. Ana Cristina da Costa Oliveira é servidora da Secretaria de Gestão Ambiental, onde ocupou o cargo de técnica em Gestão Pública até o dia 2 de janeiro deste ano. Nesta data ela foi designada para o instituto, onde todos os cargos preenchidos foram indicados pelo marido. A confirmação de que se trata de CEC 7, na própria folha do governo, sugere que a mulher do deputado teria sido privilegiada frente aos demais comissionados. Uma suspeita de pagamento indevido que o Ministério Público deveria investigar.

Não consta no Diário oficial do Estado (DOE) qualquer ato de nomeação da servidora para cargo comissionado em 2019. A falta de um documento oficial é outro mistério, muito embora Ana Cristina tenha sido “levada” por alguma força estranha à folha de pagamento. O seu salário no Iteracre ( órgão da administração direta) é quase três vezes mais que a remuneração bruta de um técnico, pessoa com nível médio, a função de orígem da funcionária na SGA (administração indireta).

Ana Cristina deveria ter pedido afastamento da SGA antes de assumir o cobiçado cargo em comissão no governo.  

A secretária Maria Alice (Gestão Administrativa), que assinou a designação de Ana Cristina, não atendeu aos telefonemas da reportagem. 

Tentamos contato com o próprio deputado, através do seu telefone pessoal, o 98421-04…. A ligação não foi completada. 

Mais Notícias
Carregue mais
%d blogueiros gostam disto: