Igreja Universal sugere que pastor e vereador estaria afastado antes de ser preso

REDAÇÃO

Em nota, o Departamento de Comunicação Social da Igreja Universal diz que os seus membros são desligados naturalmente quando decidem seguir carreira política. O pastor Manuel Marcus, preso nesta terá-feira na Operação Santinho, acusado de desvio do fundo eleitoral, estaria afastado das atividades da igreja, segundo a nota. Na realidade, o pastor-político ainda frequentava a universal e tinha o status de pastor, tendo inclusive reunido com congregados e demais líderes durante a campanha eleitoral.

A nota foi provocada por questionamentos feitos pelo acjornal ao longo do dia. De início, um pastor que se identificou como Luiz, chegou a acusar o jornal de estar blefando e passando trote ao informar a prisão de Manoel Marcus.

Leia a nota abaixo:

“Com referência ao vereador Manuel Marcos, a Igreja Universal do Reino de Deus informa que qualquer integrante do corpo eclesiástico – bispos e pastores – que decida ingressar em carreira política, obrigatoriamente, licencia-se da Igreja e passa a se ocupar exclusivamente da atividade pública.

Esclarecemos, ainda, que acompanharemos o desenrolar dos fatos. A Universal sempre procura avaliar se a conduta do pastor, ainda que licenciado, continua compatível com os preceitos éticos e morais exigidos de seus oficiais.

UNIcom – Departamento de Comunicação Social e de Relações Institucionais da Universal”

O TRE , Tribunal Regional Eleitoral, esta com data marcada para dia 19 de Dezembro a diplomação dos Deputados, e informou que a diplomação do Deputado Federal Manuel Marcus e Deputada Estadual Doutora Juliana ira ocorrer, sem restrições, pois o fato trata-se de investigações e não condenação, o fato é que os deputados só poderiam ser cassados se ouve-se uma condenação judicial, sendo a sim, os votos do Deputado Federal e Estatual não podem ser anulados .

 

Mais Notícias
Carregue mais
%d blogueiros gostam disto: