Em busca do equilíbrio fiscal, Gladson Cameli extingue 1.300 cargos e define 14 secretarias para economizar R$ 90 milhões ao ano

REDAÇÃO

O senador e governador eleito, Gladson Cameli (Progressistas), disse nesta segunda-feira (17) que a reforma administrativa encaminhada à Casa Civil para ser executada em seu governo, a partir de janeiro de 2019, reduzirá a estrutura governamental a 14 Secretarias de Estado, extinguirá mil e trezentos cargos comissionados e terá somente 10 assessorias especiais, com a previsão de economizar cerca de R$ 90 milhões por ano.

Para chegar a esses números, a equipe técnica do governador eleito teve como parâmetro as folhas de pagamento dos últimos quatro meses de 2018. O objetivo da reforma, segundo Cameli, é retomar o equilíbrio fiscal e financeiro do estado, apresentando um ajuste em todos os setores. Segundo ele, as medidas são essenciais para que o estado resgate o controle econômico e assim possa trabalhar em mecanismos que garantam investimentos futuros para as áreas mais carentes do estado.

O governador eleito afirmou, ainda, que não haverá extinção de órgãos da administração indireta (Autarquias, fundações e empresas públicas) em virtude dos seus passivos trabalhistas/tributários, havendo apenas a fusão de suas atividades em algumas áreas. O mesmo modelo foi adotado para a administração direta (Secretarias de Estado).

Gladson cita como exemplo as atividades o Instituto de Mudanças Climáticas (IMC), que serão incorporadas ao IMAC, passando a se chamar Instituto de Meio Ambiente e Análises Climáticas do Acre. No caso das Secretarias de Estado, as ações da antiga Secretaria de Extensão Agro-florestal e Produção Familiar (Seaprof) serão exercidas pela Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio (SEPA).

Esclarecendo as mudanças que ocorrerão durante sua gestão, Cameli enfatizou que a reforma apresentará também uma modificação de conceitos econômicos, administrativos e sociais. No âmbito econômico, sua proposta visa a adoção de um novo modelo voltado ao agronegócio, reduzindo os entraves ambientais implementados pela falida política da “Florestania”.

O objetivo será oferecer serviços públicos essenciais ao cidadão, atualmente precários em quase todo o estado. “Há uma necessidade de esforço conjunto de toda sociedade acreana neste momento de crise e insuficiência de recursos, pois precisaremos fazer mais com menos”, disse o governador eleito.

Confira as Secretarias de Estado do Governo Gladson Cameli:

 

Secretaria de Estado da Casa Civil;

Secretaria de Estado de Planejamento – SEPLAN;

Secretaria de Estado da Fazenda – SEFAZ;

Secretaria de Estado da Saúde – SESACRE;

Secretaria de Estado da Educação, Cultura e Esportes – SEE;

Secretaria de Estado da Justiça e Segurança Pública – SEJUSP;

Secretaria de Estado de Empreendedorismo e Turismo – SEET;

Secretaria de Estado de Gestão Administrativa – SGA;

Secretaria de Estado de Produção e Agronegócio – SEPA;

Secretaria de Estado de Meio Ambiente – SEMA;

Secretaria de Estado de Infraestrutura e do Desenvolvimento Urbano – SEINFRA;

Secretaria de Estado de Indústria, Ciência e Tecnologia – SEICT;

Secretaria de Estado de Polícia Civil – SEPC;

Secretaria de Estado de Comunicação – SECOM.

 

Área social –  Finalizando, o governador eleito esclareceu também que as atividades exercidas pela antiga Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SEDS) passarão a serem executadas pelo Instituto de Assistência e Inclusão Social (IAS), sob a coordenação da futura primeira-dama do Estado.

Mais Notícias
Carregue mais
%d blogueiros gostam disto: