PTB apóia Charlene Lima, que pode ser libertada a qualquer momento: “jamais abandonaremos um soldado ferido”, diz Vânia Pinheiro

REDAÇÃO

O secretário executivo do PTB nacional, Norberto Martins, confirmou que não haverá sanções internas contra a candidatura da publicitária Charlene lima. A candidata a deputada feral pelo Acre está presa há 15 dias e aguarda para esta sexta-feira o julgamento de um pedido de liberdade protocolado nos tribunais de Brasília. Um possível alvará de soltura pode sair a qualquer instante. O presidente do partido, Roberto Jefferson, encaminhou, por meio de sua assessoria de imprensa, uma resposta ao questionamento sobre o assunto feito pelo acjornal. “Para nós só chegou a informação de que a candidata enfrenta problemas por aí, nada mais que isso. Não há condenação. Não existe nada que, oficialmente, incrimine a candidata. Ela pode votar e ser votada. Por isso, vamos aguardar”, declarou.

A publicitária contratou uma das principais bancas de advogados do Sul do país.

“Nós não poderíamos, jamais, abandonar um soldado ferido”, reagiu a tesoureira do PTB, a jornalista Vânia Pinheiro. O comentário dela reafirma que a campanha de Charlene não será interrompida. “O partido se esforça para provar a inocência da candidata. Enquanto isso, a militância mantém o mesmo ritmo.Temos certeza que o eleitor saberá diferenciar as coisas”, disse a jornalista. Vânia tranquiliza eleitores e militantes que, há vários meses, trabalham para eleger Charlene: “toda esta situação será esclarecida. Temos que cumprir os prazos legais, determinados pelo juiz. A Charlene está tranquila e, por meio de seus advogados, tem encorajado a militância a dar continuidade ao projeto que ela mesma começou”, afirmou.

O coordenador da campanha de Charlene em Sena Madureira, Cláudio Henrique, atribui a prisão de Charlene a uma briga política entre opositores, a fim de prejudicar a candidata. “A Charlene vinha sendo bem avaliada. Sua campanha caiu nos braços do povo. Não parece estranho que logo agora tudo isso aconteça? Mas nós seguimos em frente. O que importa é que, mesmo sem ela entre nós, a nossa militância mantém o ritmo da campanha. Na justiça, provaremos a sua inocência”, declarou.

Mais Notícias
Carregue mais
%d blogueiros gostam disto: