Dirigentes do Sinteac pedem Rosana deputada federal para defender direitos da Educação no Acre

REDAÇÃO

A presidente do Sinteac, Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Acre, Vânia Líbio, confirma que praticamente todos os núcleos da entidade no interior estão apoiando a candidatura da professora Rosana Nascimento a deputada federal. Professores, funcionários e diretores de escola em Rio Branco formam o maior número de filiados e não filiados que pediram para que a sindicalista se afastasse do Sinteac para disputar as eleições. As razões: a falta de um deputado estadual ou federal que possa defender os direitos da maior categoria funcional do Acre. Leia abaixo os principais trechos da entrevista com a presidente do Sinteac:

Vania Líbio – Todos nós já conhecemos a trajetória de luta da professora Rosana, o seu compromisso, a sua garra, a sua força e sua resistência na defesa dos direitos dos trabalhadores. Eu te digo isso como testemunha de quem convive com ela no dia a dia há muitos anos. Nós acreditamos que ela fará um trabalho marcante no Congresso Nacional. Nós da Educação, especialmente, também estamos reféns de representatividade política. E a professora Rosana só está candidata a pedido dos professores e funcionários de escola. Chegou a hora de mudarmos esse cenário. Somos a maior  categoria do Acre. A grande maioria dos núcleos do Sinteac no interior apóia a professora integralmente.

acjornal – Vocês elegeram alguns políticos que usaram a bandeira da Educação no passado. O que eles fizeram pelos educadores?

Vania Líbio – Infelizmente, nada fizeram. Absolutamente nada. A maioria dos votos que eles receberam veio realmente da Educação. Mas, no final das contas, nós nos sentimos traídos, enganados. Eles não cumpriram a principal proposta de estar ao lado dos trabalhadores nos momentos mais difíceis. Repito: foi depois de avaliar esse quadro que nós decidimos lançar a professora Rosana para deputada federal.

acjornal – A greve de 65 dias, a maior da história do Acre, foi liderada pela professora Rosana contra o governo do PT em 2015. Qual, na sua opinião, a reação daqueles que estavam deputados graças ao apoio dos professores e funcionários de escola?

Vania Líbio. Aquele foi o momento que a categoria mais precisou de apoio político. Não é segredo para ninguém que eles, os políticos que prometeram nos ajudar, ficaram do lado do governo. A professora Rosana lutou demais contra o assédio moral aos trabalhadores que não podiam exercer seu direito de greve por que estavam ameaçados de demissão. Muitos tiveram seus direitos cassados e até adoeceram com tanta perseguição. Com isso, eles tentaram esvaziar o movimento, mas nós estávamos sendo liderados por uma mulher que, habitualmente, não desiste fácil. Nós vencemos, graças a Deus, e com o apoio dos alunos e de seus pais, o que nos deixou mais aliviados ainda.

acjornal – A senhora herdou alguma irregularidade da gestão da professora Rosana?

Vania Líbio – Nenhuma. Sou sincera em te falar que não vimos nenhuma coisa errada. Nunca houve indício de que a professora Rosana tenha colocado interesses pessoais acima do interesse da categoria. Eu fui vice dela e hoje sou presidente deste sindicato também por acreditar que a professora Rosana deveria ir pra campanha política mostrar que ele tem o melhor perfil para merecer o apoio de todos os educadores. Como a própria professora diz, esse mandato de deputada federal não será dela, e sim de todos nós.

 

Mais Notícias
Carregue mais
%d blogueiros gostam disto: